Não há uma fórmula para enfrentar o luto, trata-se de uma experiência bastante particular.  Porém contar com o apoio de pessoas que passam pelo mesmo que você pode ser de grande ajuda.

Os primeiros dias após a perda de um ente querido costumam ser os mais confusos.  Misturados à dor, estão sentimentos de impotência, apatia, incerteza e a necessidade de reagir, até mesmo para cuidar de uma série de formalidades e processos burocráticos.

Dizem que o tempo cura tudo, mas nem sempre esperar é a decisão mais sábia. O processo de luto não deixa de ser uma transição e, para passar por ele da forma mais incólume possível, muitas vezes é preciso pedir ajuda. Um apoio que vai além da família e amigos, estamos falando do suporte de um psicólogo (a).

O que muita gente desconhece é que o acompanhamento não necessariamente precisa ser individual. Está comprovado que a terapia de grupo é uma ferramenta eficiente na hora de lidar com a morte, canalizar a dor e transformá-la em força para reagir e avançar.

O principal benefício oferecido pela terapia de grupo àqueles que se encontram no meio a um processo de luto é a oportunidade de "melhorar" ao compartilhar sua dor e suas experiências.  A ausência física, a falta de contato é uma das partes mais dolorosas do processo de luto. Ter um espaço para falar dessa pessoa tão querida, de tudo o que ela representa e como você se sente em relação ao vazio deixado é uma forma potente de reaprender a viver.

O que é o luto?

É um rompimento/desligamento de objetos ou coisas de muita importância a pessoa. Vivemos perdas e lutos diariamente, porém perdas que são significativas como, mortes e separações, causam desorganizações psicológicas, podendo gerar somatização no corpo, caso não seja tratado o sofrimento e dor das perdas.

Mas como passar pelo processo de perdas e luto forma mais 
tranquila?
Não existe luto mais forte ou fraco, o que existe é que o luto é um processo longo e individual, e não é resolutivo - perdeu agora e daqui a 7 dias está tudo bem, não! - Não tem forma estabelecida de tempo de duração, não tem padrão de comportamento definido para que se vivencie o luto igual para todos. 
Expressar o luto onde o ritual de passagem contribui na resignificação do sofrimento e dor, é um caminho mais tranquilo para todos que tiveram o contato com seu objeto de perda (morte de ente querido, morte de pets, perda de objetos, mudança de cultura e país, etc) 
O ritual de passagem é o start do processo de luto. "Fui lá no enterro do ente, pessoa, bichinho querido, voltei para casa; aí me deparo realidade e com todas as celas de despedida junto daquele objeto (pessoa/bichinho) e começa o start do processo de luto.

Qual o papel do psicólogo para ajudar no processo de enfrentamento do luto?
Ajudar a pensar junto da pessoa a identificar qual estágio do luto se encontra e fortalecê-la para vivenciar e resignificar a dor, o sofrimento para que tenha suporte e forças em continuar a Vida.

P E R M I T A - S E

#luto #perdas #ressignificar #estudodamorte 
#psicologia
#viver #com #amor

LUTO EM VIDA : Trabalho, amigo, separação 
LUTO DA MORTE: Pessoas queridas

My Image